Pular para o conteúdo Elementar
menu
A+ A-
Dúvidas ou Dívidas?
Aqui você encontra algumas dúvidas frequentes sobre química
e o funcionamento da Tabela Periódica
Átomoclose

Átomo é o formador da matéria, ou seja, constitui tudo que ocupa espaço e possui massa.
São constituídos por três tipos de partículas:

prótons, nêutron e elétrons.

Os átomos possuem um núcleo, onde ficam os prótons e nêutrons. Também possuem camadas, onde os elétrons ficam se movimentando, formando a eletrosfera.

- Prótons: têm carga positiva e o número de prótons em cada átomo é chamado de Número Atômico;

- Nêutrons: têm carga neutra;

- Elétrons: têm carga negativa.

Em seu estado normal, átomos possuem o mesmo número de prótons e elétrons. Quando possuem mais ou menos prótons ou elétrons, são chamados de íons.

- Quando o átomo possui mais próton do que elétron, é chamado de cátion (perda de elétrons);

- Quando o átomo possui mais elétron do que próton, é chamado de ânion (ganho de elétron).

A soma do número de prótons e elétrons é chamado de Peso Atômico. Geralmente o peso atômico é de 2 a 2.5 vezes o Número Atômico.

Um elemento é qualquer substância pura que não sofre decomposição e feita por um ou mais átomos com o mesmo Número Atômico.

“Todas as substâncias são formadas por átomos. As substâncias simples são formadas por átomos de um único elemento e As substâncias compostas são formadas por átomos de dois ou mais elementos diferentes.” – TITO, CANTO. “Química na abordagem do cotidiano”. 4 ed. São Paulo: Editora Moderna LTDA, 2010. V. 1, 648 p.

Ligações Químicasexpand_more
Ligações Químicasclose

A união entre átomos é feita a partir de ligações químicas. Átomos tendem a dar, receber ou compartilhar elétrons (cada átomo tem sua tendência).

Mas por que átomos não tendem a dar, receber ou compartilhar prótons e nêutrons?

Porque os elétrons ficam “livres” nas camadas da eletrosfera enquanto os prótons e nêutrons ficam “presos” no núcleo.

Mas por que eles trocam elétrons?

Porque os elementos tendem a se parecer com os gases nobres (elementos com 8 elétrons na última camada, também chamada de camada de valência), então eles trocam elétrons a fim de completar sua última camada.

Os três tipos de ligações são:

- Ligação Iônica: ocorrem entre metal e não-metal. Um átomo recebe elétrons de outro átomo;

- Ligação Covalente (molecular): ocorre entre não-metal e não-metal. Os átomos tendem a compartilhar os elétrons;

- Ligação Metálica: ocorre entre metal e metal. Compartilham elétrons, conduzindo eletricidade e calor.

Famíliasexpand_more
Famíliasclose

Cada uma das colunas da tabela representam um grupo ou família. A tabela periódica é organizada de forma que elementos com propriedades similares ficam num mesmo grupo. As famílias são:

- Grupo 1A ou 1 – Metais Alcalinos: Altamente reativos e fáceis de formar compostos, doando elétrons, porém não são encontrados livremente na natureza. Geralmente formam sais e compostos alcalinos (neutralizantes de ácidos), como bicarbonato de sódio. Em sua forma pura, são metais leves e inflamáveis em contado com água.

- Grupo 2A ou 2 - Metais Alcalinos Terrosos: Altamente reativos e fáceis de formar compostos, doando elétrons, porém não são encontrados livremente na natureza. Seus óxidos são chamados de alcalinos terrosos. Em sua forma pura, são metais leves e frágeis.

- Grupos 1B a 8B - Metais de transição: Características típicas de metais, bem como: fortes, brilhantes, maleáveis, flexíveis e bons condutores de calor e eletricidade.

- Grupo 6A ou 16 – Calcogênios: possuem caráter metálico menos intenso que os elementos que se encontram na família anterior, sendo o oxigênio e o enxofre os que possuem maior caráter não metálico, deste grupo de elementos.

- Grupo 7A ou 17 – Halogênios: São não-metais reativos que formam compostos facilmente, mas não são encontrados livres na natureza. Eles combinam com metais alcalinos para formar sais (halogênio significa “formador de sal”).

- Grupo 8A ou 0 – Gases Nobres: São inativos ou inertes. Cada átomo tem o número exato de elétrons necessários para ter a camada de valência completa, de forma que eles quase nunca se ligam a outros átomos. É por isso que são todos gases.

- Lantanídeos: também conhecidos como lantanóides ou terras-raras. Esta classificação passou a ser mais restrita, sendo dada para elementos que dificilmente se separam.

- Actinídeos: A maioria dos elementos desta série é artificial e todos são radioativos, entretanto, isso não impede que eles sejam utilizados pelo homem.

- Obs.: Apesar do hidrogênio estar situado na coluna dos alcalinos, ele não é considerado um metal alcalino. O hidrogênio, na verdade, não tem família, pois podem se comportar como metais alcalinos, doando elétrons, ou como halogênios, recebendo elétrons.

Os elementos dos grupos 1, 2, 13, 14, 15, 16, 17 e 18 apresentam comportamentos menos complexos que os demais e são chamados de elementos representativos. Os elementos dos grupos de 3 a 12 apresentam comportamentos mais complexos e são chamados de elementos de transição. Os lantanídeos e actinídeos são chamados de elementos de transição interna.

- Elementos representativos: apresentam maiores padrões em suas propriedades.

- Elementos de transição: não apresentam a mesma regularidade dos representativos, por isso seu comportamento é mais complexo.

- Elementos de transição interna: são chamados assim porque seu elétron mais energético encontra-se no subnível f da antepenúltima camada e não na camada de valência.

A camada mais externa do átomo de um elemento é chamada de camada de valência e seus elétrons são os envolvidos diretamente nas ligações químicas, e são chamados de elétrons de valência.

Conceitosexpand_more
Conceitosclose

Número atômico: é representado pela letra Z e se refere à quantidade de prótons existentes no núcleo. Átomos em equilíbrio possuem o mesmo número de prótons e elétrons.
Massa atômica: representada pela letra A, é a soma do número atômico (Z) com o número de nêutrons no núcleo. Então temos:

A = Z + n

onde n = nº nêutrons

Distribuição eletrônica: a disposição dos elétrons de forma que o átomo fique em seu estado fundamental, ou seja, quando todos os seus elétrons estão dispostos nos níveis mais baixos de energia disponíveis.

O modelo atômico de Bohr provou que os elétrons estão dispostos em níveis ou camadas de energia, que cada camada comporta um determinado número de elétrons e que é necessário a absorção de energia para que os elétrons mudem de camada. As camadas são:

Porém, Linus Pauling conseguiu chegar mais perto da realidade ao provar a existência dos subníveis de energia. A configuração então fica:

Para facilitar os cálculos, há o diagrama de Pauling, representado a seguir:

Ponto de fusão: temperatura em que uma substância passa do estado sólido para o estado líquido.
Ponto de ebulição: temperatura em que uma substância passa do estado líquido para o estado gasoso.